A engenharia segue ocupando lugar de destaque no mercado. E um dos principais motivos é o seu extenso leque de atuação, como a área da perícia judicial. Todos os engenheiros e arquitetos formados e regularizados pelo seu Conselho (CREA e CAU) têm autonomia para emitir laudos técnicos e pareceres técnicos, no entanto, para atuar como perito não é necessário prestar concurso público, nem obrigatoriamente realizar pós-graduação específica nesta área. Porém ressaltamos sempre, que conhecimento não ocupa espaço, ou seja, é importante sempre estar qualificado pois existem perícias nos mais diversos assuntos, que vão exigir do profissional o devido conhecimento técnico para elaboração do laudo pericial.

O PERITO-ENGENHEIRO/ARQUITETO

O engenheiro/arquiteto que optar por atuar como perito judicial, pode atuar no âmbito judiciário.

Há um tripé obrigatório do perito do Juízo: Imparcial, Técnico e Ético. Faz-se necessário também a apresentação de um laudo técnico e conclusivo na sua forma geral. O serviço é remunerado e cabe adiantamento de até 50% dos honorários periciais homologados pelo Juízo.

Existem as nuances e detalhes do trabalho de um perito, principalmente a nível judicial, quando se faz necessário no detalhe conhecer todos os ritos processuais. Não é um “bicho de sete cabeças”, porém se faz necessária a dedicação e capacitação correta para entendimento destes tramites legais, a fim de ter a possibilidade de ampliar seu volume de nomeações.

MERCADO PARA PERITO- ENGENHEIRO

Atualmente para esses profissionais, o mercado de trabalho está bastante aquecido devido a altas demandas judiciais e às diversas áreas de atuação. Embora o mercado possa ser rentável, é de pouco conhecimento dos engenheiros e arquitetos de como nele ingressar.

O CURSO

Se você já atua ou deseja atuar como perito judicial esse é o seu momento. O objetivo do curso é compartilhar conhecimentos da Engenharia Legal, nele o autor e professor Acacio Santos transmite todo o seu conhecimento, os elementos técnicos da prova pericial para os Engenheiros e Arquitetos, prevendo situações que o perito tem a possibilidade de aprender através da prática forense pericial de como se tornar um Auxiliar da Justiça nomeado e atuante no Tribunal de Justiça do seu estado.